Category Archives: Mundo das gordelicias

As letras mudaram, mas ainda somos tema das canções.

receba as atualizações do site no seu email é grátis. Digite seu email na caixa e clique em receber , não se esqueça de confirmar a inscrição no email cadastrado


receba as atualizações do site no seu email é grátis. Digite seu email na caixa e clique em receber , não se esqueça de confirmar a inscrição no email cadastrado

Uma das já conhecidas formas de depreciação das pessoas gordinhas são as canções que ouvimos desde os tempos de escola, pois a criança ou a adolescente que nunca ouviu a clássica: “Gorda, baleia, saco de areia…” Pode se considerar uma privilegiada, pois eu ouvi essa musica várias vezes e muitas amigas minhas também.

Sendo assim resolvi dar uma busca e verificar se existem musicas que não depreciam as gordinhas e encontrei duas, já conhecidas de muitos, que não apenas não depreciam como elogiam as mulheres de verdade.

No entanto podemos ainda encontrar canções que não nos depreciam, pelo contrario, nos homenageiam e enaltecem tudo o que temos de melhor.

Um caso clássico encontrado é do rei da música brasileira, Roberto Carlos, que em 1993 emplacou o sucesso “Coisa Bonita” que faz um interessante trocadilho com a necessidade que as mulheres têm de ir à academia e se diz um homem “dietético”. O ritmo eleva o astral de quem a ouve e faz dançar.

Amo você assim e não sei porque tanto sacrifício
Ginástica dieta não sei pra que tanto exercício
Olha eu não me incomodo um quilinho a mais não é antiestético
Pode até me beijar pode me lamber que eu sou dietético
Não acho que é preciso comer de tudo que tem na mesa
Mas passar fome não contribui em nada para a beleza
Já no passado os mestres da arte diante da formosura
Dispensava o charme de uma gordinha em sua pintura
Gosto de me enconstar nesse seu decote quando te abraço
De ter onde pegar nessa maciez enquanto te amasso
Eu não sou massagista e não entendo nada de estética
Mas a nossa ginástica é mais gostosa e menos atlética
Coisa bonita, coisa gostosa, quem foi que disse que tem
Que ser magra pra ser formosa? coisa bonita, coisa gostosa
 

Anos mais tarde, já no final de 2010, baseados na canção do rei, e provavelmente no espaço que as mulheres “reais” (leia-se não esquálidas ou pré fabricadas) conquistaram na mídia nos últimos tempos, o grupo baiano Os Barões criou uma canção que tem tudo para ser o hit do carnaval de Salvador. Trata-se da canção “As gordinhas”, que mesmo tendo um pequeno problema semântico relacionado ao uso de uma adversativa no meio do refrão (“Ela é gordinha, MAS é gostosa”) fala de forma bem humorada das sensuais curvas que temos, comparadas as da cantora Preta Gil.

O clipe é um show a parte com gordelícias lindas e bem vestidas dançando por toda parte.


\”As Gordinhas – Os Barões\”

Pode até estar um pouco distante
Do padrão que você quer
Mas ela é tão sensual
Afinal é mulher
E tem o rebolado no corpo
E faz o negão ficar louco
Quem nunca provou eu vou logo dizendo
Não sabe o que está perdendo
É gordinha, mais é gostosa
É gordinha, mais é gostosa
Tão gordinha, mais é gostosa
É gordinha, mais é gostosa
Ela tem um papo legal
Afinal é tão sensual
Ela que preenche sua cama
Toda noite diz que te ama
Eu vou lhe dar um palpite
Mulher perfeição não existe
Mulher tem que ter barriguinha
Mulher tem que ter celulite

Infelizmente não tomei conhecimento de nenhuma outra canção que fale das gordinhas sem depreciá-las, mas posso dizer que já estamos com meio caminho andado no que se refere a isso, se juntamos isso ao espaço que ganhamos nas passarelas e na TV, mesmo que ainda não seja bom o suficiente, estamos chegando com tudo.

Caso conheçam outras canções, por favor, me mostrem nos comentários.

Um beijo grande!

_______________________________________________________________________

Liliane é uma personagem fictícia que representa uma história que poderia ter acontecido com  qualquer  pessoa, em qualquer lugar. Então você pode ser essa pessoa, compartilhe sua história com a gente. CLIQUE AQUI e terá uma pagina especial no diário dessa Gordelicia.

Leia também Flavinho e os Barões lança clipe da música ‘As gordinhas’, confira (vídeo)

A pagina é SUA – Fevereiro/2011

receba as atualizações do site no seu email é grátis. Digite seu email na caixa e clique em receber , não se esqueça de confirmar a inscrição no email cadastrado


Olá leitores do Gordinhas Assumidas…

No A página é SUA de hoje temos a história da Kamila, uma gordelicia sacudida que se entendeu com a balança e os preconceitos, e disso tirou importantes lições que levará para sempre consigo.

Até a próxima semana!

Ser gordinha é sinonimo de uma pessoa,triste? Fora do mundo da moda? totalmente ignorada? Não!


As gordinhas devem se atentar para isso, conheço gordinhas felizes, super na moda e totalmente descoladas.

Eu por exemplo sempre fui gordinha, mas aos meu 13 anos minha mãe decidiu que iria me ajudar com uma dieta pois estava vindo a adolescencia e ela não queria que eu fosse o patinho feio da turma, não que ser gordinha significa ser feia,mas ela queria que eu emagrecesse por causa da adolescencia.

E assim emagreci por volta de 10kg, o que já mudou meu manequim de 44 para 40, o que deu certa felicidade a minha adolescência não tive problemas na paquera, nem em fui motivo de piadas, mas é claro que as vezes eu queria ser magrinha como as outras garotas e me sentia um pouco chateada, mas nem por isso deixei de curtir minha vida, muito pelo contrário, curti muito minha adolescência, baladas, paqueras, amizades, festas, e muito mais…

Aos 19 anos cometi a besteira de tomar um remédio para emagrecer sem prescrição médica, sem bula, sem composição, só me disseram que era bom e eu tomei, emagreci… Dos 60kg para 54kg. Me sentia ótima com o espelho e a balança, mas meu organismo dizia para eu parar… E eu não obedecia, só bebia água gelada, mais de 2 litros por dia pois minha garganta secava mais e mais a cada minuto, e na hora das refeições estava com o estomago cheio de água e com nauseas só de olhar para a comida, minha mãe sempre preucupada me disse para não tomar as capsulas no fim de semana, e assim o fiz, o que me gerava o prazer de apreciar algo gostoso mas muito pouco pois logo me sentia mal.

Passados um mês e meio parei com o remédio, pois já estava satisfeita com resultado, então eu comecei a comer de novo, pouco mas comia, demorou apenas um mês, no dia do meu aniversário fiquei de cama, com febre coisa que raramente tenho, fui para o hospital e passei o dia em observação devido a grave inflamação na garganta e estado febril incessante, permaneci neste estado por quatro dias, foi aprimeira vez em que fiquei de cama na vida, depois disso minhas visitas ao médico se tornaram constantes, apresentei um quadro de anemia cronica, chegando a queda de cabelo, quebra das unhas, desmaios e até o pior que foi uma disfunção em um dos ovários.

Recomecei a minha vida depois deste susto e não segui nenhuma dieta, mas a cada dia que passava eu engordava e acabei chegando aos 68kg, mas mesmo mais gordinha eu me sinto bonita, saúdavel e muito feliz, claro quando olho minhas fotos quero voltar no tempo, mas eu sei que estou melhor por dentro pois não estou fraca caindo ou correndo risco de pegar qualquer virús por está com imunidade baixa. Meu marido acompanhou todas estas fases pois eramos namorados na época, e ele diz que prefere  como sou agora, pois naquela época tinha aspecto de doente, e nunca queria comer nada.

Resolução: Não adianta fazer dietas milagrosas nem viver de mal com a balança temos que nos aceitar com o corpo que Deus nos deu pois sempre escuto que nada é por acaso, e se Deus me fez gordinha para que não fosse deficiente, temos que ter plena conciência de tudo, não sou a favor de comer exageradamente, sou a favor de uma dieta balanceada, natural e exercícios fisícos sim, inclusive estou sempre entrando em uma dieta nova na segunda-feira. Se eu emagreço fico feliz e se não feliz do mesmo jeito Por que eu me aceito e me acho muito linda.

_______________________________________________________________________

Liliane é uma personagem fictícia que representa uma história que poderia ter acontecido com  qualquer  pessoa, em qualquer lugar. Então você pode ser essa pessoa, compartilhe sua história com a gente. CLIQUE AQUI e terá uma pagina especial no diário dessa Gordelicia.

A pagina é SUA – Janeiro/2011

receba as atualizações do site no seu email é grátis. Digite seu email na caixa e clique em receber , não se esqueça de confirmar a inscrição no email cadastrado


Olá leitores e leitoras deste site.

Hoje, como de costume, tiro folga e deixo que algum de vocês ocupe esta página.

A história de hoje é muito bonita, pois a Ana Cristina é mesmo uma gordelicia multifuncional, que acumulou vários papéis ao longo da vida e ainda encontra tempo para se olhar no espelho e dizer: “EU SOU FELIZ”

É um relato e tanto, aproveitem, pois hoje (e sempre) esta página é SUA


Há pouco tempo encontrei esse blog e me encantei por ele, aqui sinto que não estou sozinha, pois lendo as matérias e histórias sobre gordinhas me sinto mais forte para lutar.


Chamo-me Ana, tenho 41 anos, sou casada a 24 e sou mãe de 7 filhos, isso mesmo 7 (sete).

Sou gordinha desde criança e foi nesse tempo que comecei a sofrer discriminações e a receber aqueles apelidos idiotas do tipo: rolha de poço, baleia fora d’água, manequim de capa de botijão de gás e por aí vai… Minha auto-estima sempre esteve em baixa, na adolescência os meninos não me enxergavam e quando se aproximavam de mim era para tirar proveito por eu tirar boas notas. Mas, quando estava prestes a completar 15 anos, resolvi fazer uma dieta e perdi muito peso. De repente, todos os garotos começaram a me notar, ainda namorei 3 meses com um, mas logo meus pais mudaram de cidade e acabou.


Logo conheci meu marido por quem me apaixonei e aos 16 anos estava me casando, aos 17 anos dei a luz a minha filha mais velha e daí em diante o ponteiro da balança não parou mais de subir.

Com o tempo, até meu marido se afastou de mim, morávamos juntos, mas ele me evitava e tinha seus casos extraconjugais. E os filhos foram chegando e eu cada vez mais infeliz.

No parto do meu filho mais novo eu quase morri com a pressão muito alta. E acabei sendo vítima de uma depressão pós-parto. Foi uma fase muito difícil, me sentia sozinha, abandonada. Comecei a freqüentar psicólogos e nada.

Eu fiquei horrível, obesa, feia, não via sentido em nada e foram 5 anos nessa vida. Foi quando Deus teve piedade de mim e do nada eu resolvi que não queria mais aquela vida para mim. Fui atrás de um serviço e uma tia me deu a oportunidade de trabalhar fazendo decoração de festas com ela. Em seguida, voltei a estudar e em 2007 prestei concurso para a secretaria de educação do estado que para minha surpresa fui aprovada e hoje sou servidora pública.

Continuei os estudos e em 2009 fiz a prova do Enem. Gente terminei agora o segundo período de curso superior de Tecnologia em Gestão de Turismo numa instituição federal do meu estado. Isso quer dizer que eu posso, você pode, nós podemos é só querermos e lutarmos, pois somos iguais a qualquer magrinha e em certos casos até melhores.


Resolvi dividir minha história com vocês porque acredito em cada uma de vocês e sei que vão mudar suas vidas e sair da inércia. Hoje, ainda peso mais de 100 quilos, mas, me adoro do jeito que sou e meu marido é completamente apaixonado pela gordinha dele… E sabem por quê? Porque ele me admira!!!
Então… Mãos a obra meninas, façam-se admirar

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.